RD Congo: FMI destaca impacto do petróleo no desempenho económico

RD Congo: FMI destaca impacto do petróleo no desempenho económico

O segundo maior país africano detém reservas estimadas em cerca 2 mil milhões de barris; financiamento de outras áreas pela indústria petrolífera tido como fator impulsionador da possível evolução a médio prazo.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A previsão de uma série de pressões sobre os preços do petróleo foi mencionada como um dos principais riscos para o crescimento económico da República Democrática do Congo, RD Congo.

Após uma avaliação do órgão realizada em finais de agosto, no segundo maior país africano, o Fundo Monetário Internacional, FMI, também apontou fatores como as incertezas na zona do euro e nos mercados emergentes. 

Reservas

A abundância de recursos naturais como o petróleo e o minério de ferro distingue o país, que se estima que tenha reservas petrolíferas a rondar os 2 mil milhões de barris.

Para 2013, as previsões de crescimento do Produto Interno Bruto real estão em torno de 5,8%. Entre 2009 e 2011, a média foi de 6,5% graças ao petróleo e ao robusto desempenho de indústrias não-petrolíferas.

Presidenciais de 2016

O FMI destaca o facto de o petróleo financiar as outras áreas, numa medida vista como principal responsável pelas perspectivas de crescimento positivo a médio prazo.

O cenário das eleições presidenciais, agendadas para 2016, também foi mencionado como uma das condicionantes para o desempenho económico congolês.