Pioram as condições de moradia na Grã-Bretanha, diz relatora BR

Pioram as condições de moradia na Grã-Bretanha, diz relatora

Raquel Rolnik terminou sua visita à Inglaterra, à Escócia e à Irlanda do Norte; ela está preocupada com a diminuição das habitações sociais, que empurrou muitas pessoas para o setor privado da locação.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A relatora especial da ONU para Habitação está “muito preocupada” com a piora no direito à moradia adequada na Grã-Bretanha. Raquel Rolnik fez as declarações nesta quarta-feira, ao encerrar uma visita oficial à área.

Segundo ela, o impacto de várias medidas oficiais “corroeram um dos melhores sistemas de habitação do mundo”.

Qualidade

Rolnik cita que a Grã-Bretanha tinha um histórico em fornecer moradia de qualidade e acessível, e que durante décadas, “ser pobre nas regiões britânicas não significava ser mendigo ou morar numa casa imprópria”.

Mas agora a relatora destaca que “o sistema habitacional foi enfraquecido por medidas que beneficiaram a casa própria.” Ela disse ter ouvido “relatos dramáticos” de pessoas com deficiência, idosos e outros afetados por essas políticas.

Aluguel

A relatora da ONU também está preocupada com a situação dos inquilinos, já que a redução na habitação social e a crise do crédito obrigou muitas pessoas, em especial jovens, a alugar casas no setor privado.

Ela notou tendências comuns nas condições de habitação na Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales. Durante as duas semanas de visita, ela teve encontros com governos e moradores de Londres, Edimburgo, Glasgow, Belfast e Manchester.

Raquel Rolnik irá apresentar um relatório final sobre a visita ao Conselho de Direitos Humanos no ano que vem.