Mercados de emprego online envolvem 120 milhões, diz Banco Mundial

10 setembro 2013

Estudo do órgão recomenda aos políticos um maior impulso ao impacto das Tecnologias de Informação e Comunicação para a criação de novos empregos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Os mercados de emprego online ajudam a conectar cerca de 12 milhões de pessoas a empregadores de todo o mundo, destaca um novo estudo do Banco Mundial.

O órgão aponta a maior conectividade, a digitalização de mais aspectos do trabalho e a globalização de competências como fatores que aceleraram as mudanças no mundo laboral e criaram novas oportunidades de emprego. 

Mercado Inovador

Para o Banco Mundial, o número de pessoas atualmente ligadas aos empregadores online reflete um funcionamento dos mercados mais inovador, inclusivo e abrangente.

Mais de 120 países têm agora mais de 80% da penetração de telefones celulares no mercado, revela a “Conexão para o Trabalho: Como as Tecnologias da Informação e Comunicação Podem Ajudar a Expandir Oportunidades de Emprego.”

Índia e Filipinas

Num cenário em que o teletrabalho e a terceirização “se tornaram padrão global de práticas comerciais”, a Índia e as Filipinas são tidos como os principais centros e apostadores da indústria com vista ao seu crescimento.

Os exemplos apontados para os novos caminhos para a criação de emprego com uso das TICs são as aplicações da indústria de telefonia móvel.

Programas Informáticos

Em 2012, cerca de 2,5 milhões de empregos foram publicados em pequenos sites que executam tarefas como digitação de textos, atendimento ao cliente e desenvolvimento de programas informáticos.

Somente nos Estados Unidos, as plataformas para inserir e verificar dados, cópiar, escrever ou fazer o design gráfico têm um mercado no valor de US$ 1 mil milhão. Espera-se que o crescimento possa atingir os US$ 5 mil milhões durante o próximo quinquénio.

Maximizar Impacto

Os políticos são aconselhados a adaptar para os contextos nacionais sistemas de capital humano, de infra-estrutura, financeiros e de regulação para maximizar o impacto das TICs no emprego.

Para que o desemprego permaneça nos níveis atuais, a pesquisa aponta para a necessidade de criação de  mais de 600 milhões de empregos, até 2030.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud