No G-20, Ban diz que conferência sobre Síria tem de ocorrer rapidamente BR

No G-20, Ban diz que conferência sobre Síria tem de ocorrer rapidamente

Secretário-Geral pediu o apoio dos líderes internacionais para a realização da Genebra 2, a segunda conferência de paz para a Síria; ele também quer apoio para levar ajuda humanitária a mais de 4,2 milhões de sírios deslocados pelo conflito.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas afirmaram que a Conferência Internacional para a Síria, marcada para ocorrer em Genebra, tem de ser convocada rapidamente.

A declaração foi feita pelo Secretário-Geral, Ban Ki-moon, no último dia do encontro do G-20, em São Petersburgo, na Rússia.

Armas Químicas

O pedido foi reforçado pelo enviado especial da ONU e da Liga Árabe à Síria, Lakhdar Brahimi, que também participou da reunião do G-20.

Brahimi afirmou que o ataque com suposto uso de armas químicas, ocorrido em 21 de agosto, perto de Damasco, colocou em risco a realização da conferência, mas segundo o enviado especial, não existe outra saída para o conflito, a não ser a diplomática.

Ban Ki-moon disse a jornalistas que o mundo tem “que fazer tudo que estiver a seu alcance para acabar com o sofrimento do povo sírio.”

Pessoal da ONU na Síria

Ban contou que falou, ao telefone, com a chefe do Escritório de Assistência Humanitária, Valerie Amos, que está visitando a Síria esta semana.

O Secretário-Geral lembrou que mais de 4,2 milhões de pessoas foram deslocadas pelos combates entre tropas do governo de Bashar al-Assad e os grupos armados de oposição.

Ban também disse que apesar da insegurança e do perigo, o pessoal da ONU na Síria continua trabalhand no terreno para distribuir ajuda. Ao todo, são 4,5 mil funcionários da ONU no país árabe.

Respeito a Civis

Ban disse que a chefe de Assistência Humanitária falou ao Conselho de Segurança sobre a obrigação do respeito e da proteção aos civis.

A ONU também quer que a passagem de alimentos e ajuda humanitária seja garantida.

Valerie Amos se reuniu com representantes do governo sírio em Damasco e pediu a eles que façam mais para proteger os civis.

A entrega de ajuda humanitária também está sofrendo com a falta de recursos. O Programa Mundial de Alimentos teve que reduzir o tamanho de seus pacotes de comida para atender ao crescente número de sírios que fogem da violência.

As equipes das Nações Unidas nos países vizinhos também estão fazendo planos de contingência caso a situação piore nos próximos dias ou semanas.