Cerca de 40% das crianças sírias abandonaram a escola, afirma Unicef
BR

6 setembro 2013

São quase dois milhões de sírios que estavam matriculados no ensino básico e deixaram de frequentar as salas de aula; após 30 meses de conflito, menores estão cada vez com mais medo e frustrados.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Cerca de dois milhões de crianças sírias deixaram de frequentar o ensino básico, o que representa 40% dos alunos fora da escola, entre os que estavam matriculados da 1ª à 9ª série.

Os números foram divulgados nesta sexta-feira pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef. Desse total, cerca de um milhão de crianças escaparam da violência e agora vivem como refugiadas em países vizinhos.

Sem Segurança

Segundo a agência da ONU, a maioria das crianças não pode ir à escola por várias razões: aumento da violência na Síria, desafios com o idioma nos países vizinhos; acesso, falta de segurança, pobreza e tensões entre comunidades.

O Unicef destaca que com 30 meses de conflito, os menores sírios estão cada vez com mais medo, irritados e frustrados. Para o Fundo, o “risco de uma geração perdida cresce a cada dia que eles ficam fora da escola”.

Nas próximas semanas, será a volta do período escolar na região e o desafio é garantir que essas crianças retornem às salas de aula.

Capacidade Esgotada

No Líbano, o ensino público tem capacidade de atender 300 mil estudantes libaneses. Mas o governo calcula que 550 mil crianças sírias em idade escolar estarão vivendo no país até o fim do ano.

Apenas 15% dos sírios refugiados no Líbano estavam frequentando a escola. Na Jordânia, dois terços dos menores estão fora das salas de aula. Só no campo de refugiados de Zaatari, vivem 30 mil crianças em idade escolar, mas o local só tem espaço para 14 mil.

O Unicef afirma ainda que no Iraque, nove em cada 10 refugiados sírios estão fora da escola. Nas últimas semanas, só a região autônoma do Curdistão recebeu cerca de 25 mil crianças sírias, que precisam de apoio para continuar aprendendo.

Na Síria e região, o Unicef está apoiando programas de apoio ao ensino, como o aprendizado em casa em zonas de conflito; escolas dentro de ônibus no Líbano, que podem atender crianças libanesas e sírias e a criação de espaços de ensino no Iraque.

Até o momento, o Unicef recebeu apenas 30% do apelo US$ 161 milhões requeridos para a Síria e região. O apelo é equivalente a R$ 370 milhões.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud