Situação da fome no Zimbabué piora e já atinge 2,2 milhões de pessoas

3 setembro 2013

Alerta foi feito esta terça-feira, em Genebra, pelo Programa Mundial de Alimentação, PMA; crise foi gerada por vários fatores incluindo mau tempo e fraca colheita de milho; aumento em áreas rurais é de 15% de comparado aos preços do ano passado.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.* 

As Nações Unidas afirmaram que a situação da fome no Zimbabué está a piorar, e afeta agora cerca de 2,2 milhões de pessoas no país. O alerta foi feito esta terça-feira, em Genebra.

A porta-voz do Programa Mundial de Alimentação, PMA, disse um em cada quatro zimbabueanos, na área rural, precisam de assistência alimentar. O número de pessoas na situação já estava alto em 2009, segundo a agência da ONU, quando mais da metade da população do Zimbabué dependia de ajuda.

Fertilizantes

Os níveis atuais de insegurança alimentar estão a ser atribuídos a vários fatores incluindo más condições de temperatura, falta de fertilizantes para agricultura e altos preços dos cereais devido à fraca colheita de milho.

O PMA referiu que, se comparado aos preços do ano passado, o aumento nos alimentos é de 15%.

Para ajudar os zimbabueanos afetados pela fome, a agência da ONU e os parceiros estão distribuem cereais, comprados na região, e fazem a importação de óleo de cozinha.

A transferência em dinheiro também será usada para áreas selecionadas com vista a ajudar os mercados locais. O PMA pretende aumentar a distribuição do auxílio, a partir do próximo mês, até a época das colheitas em março de 2014.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud