Ban elogia diálogo direto entre Israel e palestinianos, mas aponta riscos

Ban elogia diálogo direto entre Israel e palestinianos, mas aponta riscos

Em encontro com o presidente da autoridade palestiniana, em Ramallah, chefe da ONU revela preocupação com atividade de assentamentos israelitas e a situação de prisioneiros.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral declarou-se encorajado com o início de negociações diretas entre Israel e os palestinianos, tendo apelado para que sejam feitas melhorias visíveis no terreno.

As declarações foram proferidas por Ban Ki-moon após um encontro mantido, nesta quinta-feira, com o presidente Mahmoud Abbas em Ramallah.

Solução

Após elogiar tanto ao líder palestiniano como ao primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, Ban disse estar esperançado de que as reuniões levem a uma solução pacífica e de dois Estados.

Até esta sexta-feira, o chefe da ONU estará em Jerusalém onde se deve encontrar com as autoridades israelitas.

Horizonte Político

Em declarações a jornalistas depois da audiência, Ban disse que o diálogo deve ser significativo, com um horizonte político claro além de marcar progressos no período imediatamente seguinte.

Ban manifestou preocupação com as atividades contínuas de assentamentos de Israel na Cisjordânia  e em Jerusalém Oriental.

Seriedade

Conforme declarou, a operação aprofunda a desconfiança do povo palestiniano quanto à seriedade israelita para o alcance da paz, tendo alertado que tal “acabará por tornar impossível a solução de dois Estados.”

Ban disse que se congratulava com a libertação de 26 prisioneiros palestinos, mas revelou apreensão com o destino de outros cerca de 5 mil prisioneiros palestinianos que permanecem nas prisões israelitas.

Refugiados

Após apontar especialmente a existência de vários detidos em greve de fome e em detenção administrativa, o chefe da ONU pediu que estes sejam julgados ou libertados.

Ban elogiou Abbas pelos esforços de reconciliação, refugiados palestinos e a importância do acesso a Gaza.