Funcionários do Acnur podem deixar o Sudão
BR

6 agosto 2013

Agência da ONU pediu ao governo sudanês que renove os vistos de trabalho de seu pessoal; medida dificulta operações de proteção e assistência aos deslocados em Darfur.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, fez um apelo ao Governo do Sudão para renovar as autorizações de trabalho dos funcionários que atúam na região de Darfur.

O governo do Sudão não estendeu os vistos de trabalho que permitiriam o retorno de 20 funcionários internacionais instalados na cidade de El Fasher, em Darfur Norte.

Incapacidade

De acordo com a agência, no início de julho a última parte do seu pessoal foi convidada a deixar a área. A medida obrigou o Acnur a reduzir as operações e, neste momento, a agência não tem como prover proteção e assistência aos deslocados internos do norte.

Falando a jornalistas, nesta terça-feira, em Genebra, a porta-voz do Acnur disse que a presença da agência é necessária para a retomada das ações de apoio aos milhares de deslocados na região.

Acampamentos

Melissa Fleming disse que, somente em Darfur, 1,2 milhão de pessoas vivem em campos de refugiados. Apenas este ano, foram registrados 300 mil novos deslocados, com um terço destes em Darfur Norte onde não se pode operar no nível desejado.

O Acnur contou que apesar de contatos sucessivos com as autoridades governamentais, não obteve resposta quanto às razões para a não renovação dos vistos de trabalho.

Parceiros

Apesar da interrupção das atividades dos funcionários, vários parceiros do Acnur trabalham com pessoas necessitadas na região.

No total, 37 funcionários internacionais trabalham na região de Darfur, mas apenas 17 estão autorizados a continuar.

*Apresentação: Edgard Júnior

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud