Unesco quer investigação de assassinato duplo de jornalistas nas Filipinas
BR

2 agosto 2013

Agência da ONU condena crime contra os dois profissionais, mortos a tiros enquanto conversavam em frente a uma loja em Cidade Quezon; Irina Bokova pede que criminosos sejam processados.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A diretora da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, está condenando o assassinato de dois jornalistas das Filipinas.

Irina Bokova pede às autoridades do país que investiguem o crime e processem os responsáveis pelas mortes. A Unesco é a agência da ONU que tem o mandato de proteger e defender a liberdade de imprensa.

Tiros

Segundo relatos da mídia e da polícia local, na terça-feira, Richard Kho e Bonifacio Loreto estavam conversando em frente a uma loja de conveniência.

Dois homens armados teriam chegado de moto e atirado várias vezes contra os jornalistas. O crime duplo ocorreu na Cidade Quezon, na área metropolitana da capital filipina, Manila.

Justiça

A chefe da Unesco ressalta que os responsáveis pelos assassinatos “não devem sair impunes” e apela às autoridades do país que façam todo o possível para levar os criminosos à justiça.

Para Bokova, o “assassinato de um jornalista é um ataque direto ao direito básico à liberdade de expressão e ao direito da sociedade de ter acesso à informação”.

Segundo a diretora da Unesco, esses crimes precisam de uma “resposta rápida, que mostre aos que usam medo e violência para silenciar a mídia, que essas ações não serão toleradas.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud