Acnur celebra retorno de milhares de refugiados marfinenses da Libéria

31 julho 2013

Cerca de 58 mil refugiados da Cote d'Ivoire vivem no país vizinho; ações de repatriamento foram interrompidas devido a ataques a aldeias na fronteira em 2012.

Eleuterio Guevane, da Radio ONU em Nova Iorque.

Mais de 10 mil marfinenses já voltaram, este ano, para casa a partir da Libéria com o apoio do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur. O país acolhe cerca de 58 mil refugiados da Cote d'Ivoire, também conhecida como Costa do Marfim.

A agência refere que a meta é facilitar o repatriamento de mais de 16 mil pessoas, que correspondem a cerca do dobro dos retornados em 2012.

Segurança

O destino são áreas do oeste marfinense com grande parte a salientar melhorias na segurança e a continuação de estudos como fatores que ditam a decisão de voltar. A Cote d'Ivoire foi palco de mais de dois anos da violência pós-eleitoral.

Para a operação, a agência das Nações Unidas colabora com parceiros incluindo a Agência de Repatriamento dos Refugiados da Libéria e a Comissão de Reassentamento.

Ataques

A viagem dos antigos refugiados é feita em comboios de autocarros e em embarcações, sendo atribuída uma bolsa em dinheiro, alimentos e produtos não alimentares.

O Acnur refere que no ano passado, o repatriamento dos refugiados da Costa do Marfim foi interrompido por ataques a aldeias no lado marfinense da fronteira. Em junho, as ações causaram a morte de sete soldados da força de paz da ONU.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud