Mali: ONU saúda “votação pacífica” na primeira volta das presidenciais

Mali: ONU saúda “votação pacífica” na primeira volta das presidenciais

Organização ressalta “participação elevada”, embora não haja dados oficiais; em reunião, os 27 candidatos foram instados a respeitar os resultados.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Missão de Estabilização das Nações Unidas no Mali, Minusma, saudou o país pela votação ordenada e pacífica na primeira volta das eleições presidenciais que decorreu neste domingo.

Em nota, emitida esta segunda-feira, o porta-voz do Secretário-Geral cita relatos de “uma participação elevada” em todo o país, embora se tenha referido a não existência de dados oficiais até ao momento.

Radicais

O pleito foi considerado um passo importante rumo à recuperação da nação africana, que no ano passado sofreu um golpe de Estado militar, combates entre as forças governamentais e rebeldes tuaregues e a tomada de regiões do norte por radicais islamitas.

Durante o dia, a Minusma disse ter apoiado  às forças de defesa e segurança do Mali.  Em comunicado, a missão aponta para uma “excelente cooperação entre os seus membros e as forças do Mali na prestação de segurança eleitoral”

Contagem

A Minusma reitera, ainda, a disponibilidade de continuar a ajudar a proteger os centros de contagem dos votos do pleito, que envolveu 27 candidatos.

A missão ressalta a presença de observadores internacionais e nacionais em todas as regiões, incluindo as cidades de Timbuktu, Gao e Kidal. Os centros urbanos foram controlados pelos rebeldes até o início deste ano.

Candidatos

Nesta segunda-feira, o representante especial do Secretário-Geral para o Mali, Bert Koenders, reuniu-se os candidatos presidenciais para discutir o processo e os passos seguintes.

A organização refere que no encontro também estiveram presentes os chefes das missões de observadores internacionais e representantes do corpo diplomático no país.

A ONU refere que os participantes foram recordados da necessidade de respeitar os resultados e apresentar as suas reclamações por meio de processos legais estabelecidos.