Portugal disponível para dar ajuda logística às eleições da Guiné-Bissau

22 julho 2013

Embaixador do país junto às Nações Unidas diz que nação europeia está pronta para auxiliar votação com aparelhagem; pleito deve ocorrer em novembro após acordo de governo inclusivo.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Missão de Portugal junto às Nações Unidas informou que o país está pronto para oferecer ajuda logística à realização das eleições na Guiné-Bissau. Ainda sem data marcada, a votação está prevista para ocorrer em novembro.

O país africano de língua portuguesa sofreu um golpe militar a 12 de abril de 2012, quando foi instalado um governo de transição que permanece no poder.

Solução

O representante especial do Secretário-Geral na Guiné-Bissau, José Ramos Horta, tem mediado esforços de solução da crise política desde que assumiu o posto em Bissau, no início deste ano.

Nesta entrevista à Rádio ONU, o embaixador de Portugal junto às Nações Unidas, Álvaro de Mendonça e Moura, afirmou que seu país estará ao lado da Guiné-Bissau na preparação do pleito.

“É preciso ir mais além e pensarem os guineenses no futuro também pós-eleições. E procurar que todos sintam que podem ser partes deste futuro. Não numa visão de quem ganhar, ganhou e quem perdeu, fica afastado. Os guineenses têm que pensar, a médio prazo, e que depois das eleições todos serão participantes na construção do novo futuro da Guiné-Bissau. Esta tem sido a posição do dr. Ramos Horta que apoiamos. E repito: Portugal estará inteiramente ao lado da Guiné-Bissau na preparação destas eleições.”

Ao lado de outras nações africanas lusófonas, do Brasil e de Timor-Leste, Portugal participa também da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud