TPI promete investigar morte de forças de paz caso não haja ação em Darfur

19 julho 2013

Declaração da procuradora-chefe do órgão segue-se à morte de sete tanzanianos numa emboscada no último sábado; Fatou Bensouda disse que órgão tem jurisdição em Darfur.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A procuradora-chefe do Tribunal Penal Internacional, TPI, disse que não vai hesitar em investigar e instaurar um processo contra os autores da emboscada que matou sete capacetes azuis na região sudanesa de Darfur. A medida será implementada caso as autoridades sudanesas não abram um inquérito.

Fatou Bensouda, condenou o ataque contra as forças de paz da Missão Conjunta da ONU e da Unão Africana, Unamid, e deixou outros 17 integrantes feridos.

Soldados

Em comunicado, emitido esta sexta-feira, Bensouda afirma que ataques contra soldados de forças de paz poderão ser considerados crimes de guerra.

O comboio de viaturas onde as vítimas seguiam foi alvo de artilharia pesada de um grupo não-identificado. As Nações Unidas classificaram o ataque de um dos mais sérios contra os soldados de paz da missão, desde que foram enviados a Darfur há pouco mais de cinco anos.

Investigação

A procuradoria lembrou aos envolvidos no conflito que o órgão, com sede em Haia, tem jurisdição em Darfur à luz da resolução 1593 do Conselho de Segurança. Qualquer ataque intencional a soldados da força de paz pode ser considerado como crime de guerra.

Bensouda pediu ao governo de Cartum que realize uma investigação imediata sobre o caso e que responsabilize os autores.

O atentado foi o terceiro em três semanas contra as forças de paz na região que, desde 2007, registou 54 assassinatos de capacetes azuis.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud