TPI promete investigar morte de forças de paz caso não haja ação em Darfur

TPI promete investigar morte de forças de paz caso não haja ação em Darfur

Declaração da procuradora-chefe do órgão segue-se à morte de sete tanzanianos numa emboscada no último sábado; Fatou Bensouda disse que órgão tem jurisdição em Darfur.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A procuradora-chefe do Tribunal Penal Internacional, TPI, disse que não vai hesitar em investigar e instaurar um processo contra os autores da emboscada que matou sete capacetes azuis na região sudanesa de Darfur. A medida será implementada caso as autoridades sudanesas não abram um inquérito.

Fatou Bensouda, condenou o ataque contra as forças de paz da Missão Conjunta da ONU e da Unão Africana, Unamid, e deixou outros 17 integrantes feridos.

Soldados

Em comunicado, emitido esta sexta-feira, Bensouda afirma que ataques contra soldados de forças de paz poderão ser considerados crimes de guerra.

O comboio de viaturas onde as vítimas seguiam foi alvo de artilharia pesada de um grupo não-identificado. As Nações Unidas classificaram o ataque de um dos mais sérios contra os soldados de paz da missão, desde que foram enviados a Darfur há pouco mais de cinco anos.

Investigação

A procuradoria lembrou aos envolvidos no conflito que o órgão, com sede em Haia, tem jurisdição em Darfur à luz da resolução 1593 do Conselho de Segurança. Qualquer ataque intencional a soldados da força de paz pode ser considerado como crime de guerra.

Bensouda pediu ao governo de Cartum que realize uma investigação imediata sobre o caso e que responsabilize os autores.

O atentado foi o terceiro em três semanas contra as forças de paz na região que, desde 2007, registou 54 assassinatos de capacetes azuis.