Guiné Conacri: ONU pede calma e contenção após mortes em confrontos

Guiné Conacri: ONU pede calma e contenção após mortes em confrontos

Agências noticiosas anunciam pelo menos 54 mortos devido a fricções intercomunitárias na segunda maior cidade do país; dois meses antes das legislativas, Secretário-Geral alerta sobre condições para o pleito.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas apelaram à “calma e contenção” em atos suscetíveis de minar a coexistência pacífica entre as comunidades e os direitos humanos na Guiné Conacri.

Agências noticiosas apontam para pelo menos 54 mortos devido a confrontos religiosos em N'zérékoré, a segunda maior cidade do país. Os envolvidos são as comunidades Guerze, de cristãos e animistas, e os islâmicos Mandingo.

Recolher Obrigatório

De acordo com os relatos, as forças de segurança foram mobilizadas para a região do sudeste onde 130 pessoas ficaram feridas nos confrontos que obrigaram as autoridades locais a decretar o recolher obrigatório.

O Secretário-Geral disse estar preocupado com a perda de vidas e de propriedades.

Eleições

Ban Ki-moon lançou um apelo aos líderes nacionais e comunitários para que garantam a segurança de pessoas e bens, defendam o Estado de Direito e a busca de vias de diálogo para abordar as preocupações das comunidades.O responsável salienta ainda a importância de manter as condições propícias para a realização de eleições legislativas pacíficas e democráticas, agendadas para 24 de setembro.