Presença de forças de paz em Cote d’Ivoire continua essencial, diz ONU

18 julho 2013

Relatório revela necessidade de aumento da presença de elementos civis da missão no leste; ameaças incluem divisões políticas e redes associadas ao antigo regime do país, também conhecido como Costa do Marfim.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas apontam melhorias na situação da Cote d’Ivoire, após o impacto da crise pós-eleitoral de 2011.

Num informe apresentado no Conselho de Segurança, nesta quinta-feira, o vice-secretário-geral para as Operações de Paz disse, entretanto, que a presença das forças da organização continua essencial.

Combatentes

Como prioridades da Missão da ONU na Cote d’Ivoire, Unoci, Hervé Ladsous apontou a proteção de civis, o desarmamento, a desmilitarização, a reintegração de antigos combatentes e as reformas na segurança.

O responsável afirmou que o foco das operações será dado ao leste da nação da África Ocidental, onde deve ser aumentada a presença de civis, a capacidade de recolher dados e a identificação de questões de proteção.

Eleições

Como medidas de transição, Ladsous abordou o repatriamento de 850 mil tropas em maio passado, após a conclusão das eleições locais. O hospital militar de Abidjan, gerido pela Unoci,  deve ser transferido para o Mali.

As Nações Unidas referem que os planos de redução da força, até 2015, estão a ser considerados. O ano marca a realização das eleições presidenciais.

Constrangimentos

As ameaças identificadas incluem divisões políticas e redes associadas ao antigo regime. Após derrota nas presidenciais, há dois anos, o ex-presidente Laurent Gbagbo recusou-se a deixar o cargo para o atual chefe de Estado, Alassane Ouattara, que assumiu o posto em maio seguinte.

Os constrangimentos para o país estão aliados a fenómenos regionais como a pirataria no Golfo de Guiné, o tráfico de drogas e o crime organizado

A liderança marfinense foi elogiada no relatório do Secretário-Geral pelos avanços que segundo refere “demonstram uma vontade de resolver os múltiplos desafios do país.”

Planos de Redução

Entretanto, o embaixador da Cote d’Ivoire junto da ONU, alertou que os planos de redução de militares, de polícias e da componente civil da Unoci em 2015 devem ser tratados com muito cuidado.

Para Youssoufou Bamba a medida não deve criar um vazio de segurança no terreno, durante a “implementação efectiva dos mandatos complexos dados à missão pelo Conselho de Segurança.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud