ONU lança apelo de US$ 700 milhões para ajudar civis no Iémen

ONU lança apelo de US$ 700 milhões para ajudar civis no Iémen

Meta é garantir acesso à comida, água potável e serviços de saúde a 7 milhões de pessoas; Ocha diz que dois anos de instabilidade deixaram sistema de serviços básicos próximos do colapso.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

As Nações Unidas anunciaram um apelo de US$ 702 milhões para ajudar mais de 7 milhões de iemenitas a ter acesso à comida, água potável e serviços de saúde.

O Escritório de Assistência Humanitária da ONU, Ocha, destaca que dois anos de instabilidade deixaram o sistema de serviços básicos do Iémen quase à beira de um colapso.

Transição

O coordenador residente da organização no país, Ould Cheikh Ahmed, também destacou que a crise humanitária também foi afetada pela transição política, tendo acrescentado que não é possível haver estabilidade a longo prazo sem abordar as necessidades dos civis.

O Iémen está em processo de transição democrática liderada pelo presidente Abdrabuh Mansour Hadi, que entrou no poder após as eleições de fevereiro de 2012.

Em março deste ano, foi realizada uma conferência para o diálogo nacional, a servir de base para conceber a constituição do Iémen e preparar as eleições gerais de 2014.

Falta de Alimentos

Cerca de 13 milhões de pessoas, ou mais da metade da população, ainda necessita de algum tipo de assistência humanitária. A insegurança alimentar e a desnutrição persistem no país, acompanhados de surtos de doenças, que incluem o sarampo.

A taxa de mortalidade materna no Iémen ainda é considerada alta: 365 mortes para cada 100 mil nascimentos. O apelo do Ocha, lançado inicialmente em janeiro, foi revisto em baixa e recebeu 38% dos fundos necessários.

*Apresentação: Eleutério Guevane.