Alta comissária da ONU quer corredor humanitário para civis na Síria BR

Alta comissária da ONU quer corredor humanitário para civis na Síria

Navi Pillay emitiu comunicado pedindo também acesso para trabalhadores humanitários nas cidades de Homs e Alepo; cerca de 2,5 mil pessoas não conseguem sair de Homs.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas voltaram a pedir a abertura de uma passagem segura para os moradores de Homs e Alepo que estão sendo alvos da violência causada pela guerra civil na Síria.

Em comunicado, a alta comissária de direitos humanos da ONU disse que está “extremamente alarmada com a escalada dos confrontos” entre tropas do governo e rebeldes.

Longo Alcance

Navi Pillay e a chefe de Assistência Humanitária da ONU, Valerie Amos, afirmaram que 2,5 mil pessoas não podem sair de Homs apesar dos bombardeios e ataques com armas de longo alcance no local.

Elas disseram ainda que a presença de integrantes de grupos armados da oposição dentro de áreas residenciais tem aumentado o risco para os civis.

A chefe de direitos humanos e de assistência humanitária pediram a todos os lados do conflito que cessem os atos de violência, e que garantam a passagem segura dos civis que querem sair de Homs.

Primeira Necessidade

Apesar de negociações, nem o governo nem os rebeldes estão oferecendo essas garantias.

As agências da ONU estão ajudando os sírios que conseguem sair para cidades vizinhas.

A entrega de alimentos está sendo reposicionada para distribuição de Homs enquanto as agências humanitárias continuam levando gêneros de primeira necessidade a comunidadades carentes em Alepo.