Acnur critica centro de detenção para candidatos a asilo na Austrália
BR

12 julho 2013

Instalações na Papua Nova Guiné não estariam de acordo com os padrões internacionais, de acordo com o segundo relatório sobre o centro de processamento de asilo na ilha Manus.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, cricitou o centro de detenção para migrantes, candidatos a asilo na Austrália.

No momento, cerca de 250 pessoas estão esperando o resultado de seus pedidos no centro, localizado na Papua Nova Guiné.

Relatório

Em comunicado, emitido nesta sexta-feira, o porta-voz do Acnur, Adrian Edwards, afirmou que o centro não obedece padrões internacionais.

Edwards se baseou em informações contidas no segundo relatório sobre a situação dos migrantes que querem entrar na Austrália.

O porta-voz disse que as condições de vida no centro são duras, e que os pedidos estão sendo processados lentamente. Muitos estão vivendo em tendas, cada uma acomoda de quatro a seis homens.

Lentidão

Vários candidatos a asilo criticaram a situação dos banheiros, da falta de acesso a atendimento médico e também do que chamaram de precária preparação de alimentos.

Apesar das reclamações, a agência da ONU disse que houve melhorias desde a visita de especialistas ao local em janeiro.

Mesmo assim, muitos migrantes estão vivendo uma incerteza com relação ao futuro por causa da lentidão na reposta dos pedidos de entrada na Austrália. A última visita ao centro de detenção ocorreu entre 11 e 13 de junho, na ilha de Manus, na Papua Nova Guiné.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud