Ban liga para ministro após prisões de membros da Irmandande Muçulmana
BR

11 julho 2013

Secretário-Geral disse que está “profundamente preocupado” com detenções ocorridas, no Egito, após deposição do presidente Mohamed Mursi; ele afirmou que não deve haver exclusões ou retaliações.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas emitiram uma nota manifestando preocupação com a continuação de detenções no Egito. Nesta quinta-feira, o Secretário-Geral da organização, Ban Ki-moon, telefonou para o ministro egípcio das Relações Exteriores, Mohamed Kamel Ali Amr, para discutir o tema.

Ban disse ao chanceler que está “profundamente preocupado” com a prisão de membros da Irmandade Muçulmana, o partido do presidente deposto, Mohamed Mursi.

Obrigações Internacionais

O chefe da ONU lembrou que as detenções e os mandados de prisão continuam ocorrendo no país. Segundo ele, o Egito tem obrigações internacionais de respeitar os direitos à liberdade de expressão e de reunião.

Ban disse que não pode haver exclusões e retaliações de nenhum grande partido ou comunidade no Egito. Ele voltou a dizer que apoia os egípcios no processo, e pediu o início de um diálogo pacífico entre todas as partes políticas do país.

Ele encerrou a nota dizendo que a ONU também apoia um governo egípcio comprometido inteiramente com a prestação de contas ao povo.

Na sexta-feira, 5 de julho, os militares assumiram o poder e colocaram o presidente egípcio, Mohamed Mursi, em prisão domiciliar. Segundo agências de notícias, ainda não se sabe o paradeiro de Mursi.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud