Chefe do Acnur visita Mogadíscio nas celebrações do Ramadão

10 julho 2013

Na capital somali, António Guterres pede mais solidariedade com a população do país, que “já sofreu numa escala sem medidas”; mais de 1,1 milhão de somalis continuam deslocados.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Alto Comissário da ONU para Refugiados visitou, esta terça-feira, a capital somali, Mogadíscio, em apoio aos progressos continuados do país rumo à paz.

A visita de António Guterres, coincidiu com as celebrações do Ramadão, considerado mês sagrado pelos muçulmanos. O chefe do Acnur expressou solidariedade com uma população que frisou “tem sofrido em uma escala sem medidas”.

Refugiados

Calcula-se que 1,1 milhão de pessoas ainda estejam deslocadas na Somália, enquanto outro milhão vive exilada em vizinhos como Quénia, Etiópia e Iémen. Há ainda somalis refugiados na Europa, Estados Unidos e Austrália.

Guterres defendeu que o retorno dos somalis à casa deve ser prioritariamente voluntário, e lembrou que a maioria no exterior ainda necessita de asilo, já que as condições para repatriação rápida e em larga-escala ainda não são seguras.

Para o chefe do Acnur, este deve ser “o momento de esperança para o povo da Somália” e acrescentou que a agência irá trabalhar com o governo e com as nações hospedeiras de civis para preparar o retorno dos refugiados para quando a “paz prevalecer”.

Entrega de Assistência

Ao mesmo tempo, continua frágil a segurança, em especial na zona centro-sul, de onde é a maioria dos refugiados. O acesso de ajuda humanitária a muitas áreas é limitado, o que dificulta o envolvimento com as comunidades, a entrega de assistência e a monitoração da situação. 

Na capital, Guterres encontrou-se com a vice-primeira-ministra Fawzia Yusuf H. Adam, representantes do parlamento, do governo e da ONU. Adam ressaltou a necessidade de se construir novas escolas, casas e centros de saúde.

De acordo com dados do Acnur, no primeiro semestre deste ano, mais de 21 mil somalis deixaram seu país e buscaram abrigo em nações vizinhas.

O número supera o total de 78 mil pessoas que saíram da Somália em 2012. António Guterres afirmou que a situação deve continuar a ser uma prioridade para a agência de refugiados.

A visita do alto comissário ocorreu três semanas após o ataque contra um complexo da ONU em Mogadíscio, que deixou vários mortos.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud