Secretário-Geral da ONU pede ao Egito para manter calma e diálogo
BR

4 julho 2013

Porta-voz de Ban Ki-moon emitiu nota horas após Exército ter suspendido Constituição do país; chefe das Nações Unidas lembrou que decisões não foram aceitas pelo presidente Mohammed Mursi.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas informaram que estão acompanhando com preocupação os últimos acontecimentos no Egito. Em nota, o Secretário-Geral da ONU informou que continua apoiando as aspirações do povo.

De acordo com agências de notícias, o juiz do Tribunal Constitucional do país, Adly Mahmud Mansur, foi empossado como novo líder interino do Egito, após o Exército ter colocado o presidente Mohammed Mursi em prisão domiciliar.

Direitos Fundamentais

Em nota, Ban Ki-moon lembrou que as decisões dos militares não foram aceitas pelo presidente Mursi.

O chefe da ONU pediu aos egípcios que mantenham a calma, uma postura de não-violência com moderação e diálogo. Ele afirmou que o momento é de grande tensão e incerteza.

Para Ban, é preciso preserver ainda os direitos fundamentais do povo egípcio à liberdade de expressão e de reunião.

Segundo ele, interferências militares em assuntos do Estado é motivo de preocupação. Ban afirmou ainda que muitos egípcios protestaram contra o que ele chamou de “frustrações e preocupações legítimas.”

O Exército egípcio assumiu o controle do país na quarta-feira após ter dado um prazo de 48 horas ao presidente Mursi para que ele resolvesse os protestos de rua contra as políticas do governo e do movimento Irmandade Muçulmana.

Mohammed Mursi assumiu a presidência em junho de 2012 e ficou pouco mais de um ano no cargo até ser deposto na quarta-feira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud