FAO pede mais políticas que criem oportunidades a pequenos agricultores BR

FAO pede mais políticas que criem oportunidades a pequenos agricultores

Agência da ONU ressalta necessidade de integrar esses trabalhadores ao mercado doméstico; Programa de Aquisição de Alimentos do Brasil é citado como exemplo.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, está pedindo a criação de mais políticas que gerem oportunidades aos pequenos agricultores.

Segundo a FAO, esses trabalhadores precisam receber mais apoio para que possam vender os excessos de suas colheitas. A agência da ONU diz que integrar os pequenos agricultores ao comércio irá ajudar a reduzir a fome e a pobreza.

Inclusão 

Em um relatório sobre o assunto, lançado em Roma nesta quarta-feira, a FAO ressalta a importância da maior integração nos mercados e de cadeias de produção mais inclusivas. Com isso, os pequenos agricultores poderiam adotar novas tecnologias, essenciais para aumentar sua produção.

O Brasil é citado como exemplo no estudo, devido a uma iniciativa que facilita a compra de produtos agrícolas pelo governo. No Programa de Aquisição de Alimentos, a comida comprada de pequenos agricultores é usada em cestas-básicas e na produção de merenda escolar.

Incentivos 

Segundo a FAO, esse projeto beneficia 200 mil agricultores brasileiros e distribui comida a 15 milhões de pessoas por ano. A agência nota ainda que o Brasil fornece incentivos ao setor privado para que comprem diretamente de pequenos produtores.

A FAO lembra que geralmente, os pequenos agricultores investem o próprio dinheiro e têm pouco acesso a crédito ou seguros, quando uma situação inesperada acontece, como secas ou cheias.

Cerca de 80% dos alimentos consumidos em países em desenvolvimento são produzidos em plantações de pequeno porte, em especial na África e na Ásia.