Perspectiva Global Reportagens Humanas

Um terço de Madagáscar deve ser invadido por gafanhotos até setembro

Um terço de Madagáscar deve ser invadido por gafanhotos até setembro

FAO afirma que perdas na produção de arroz podem atingir até um quarto das necessidades do cereal; estima-se que carência alimentar possa colocar em risco a vida de mais de 13 milhões de pessoas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Cerca de um terço do território de Madagáscar deve sofrer com invasão de gafanhotos até setembro, anunciou esta quarta-feira, a Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO.

A agência considera que entre 13 milhões de pessoas devem sofrer as consequências da praga dos insetos sobre a produção, no que corresponde a 60% da população das ilhas do Oceano Indico.

Praga

A agência prevê que, a não ser controlada, a invasão possa resultar numa grave crise alimentar em grande parte do país africano.

Os esforços para angariar até US$ 22 milhões para monitorizar uma campanha de emergência contra gafanhotos não obtiveram apoio suficiente, disse a  FAO. A situação também ocorre relativamente ao apelo lançado para combater o problema.

Danos

O diretor geral da agência, José Graziano da Silva, alertou que caso os danos causados pela invasão não sejam imediatamente controlados, a ação poderá durar anos, será longa e cara.

Estima-se que entre entre 40% e 70% das safras de arroz e milho foram perdidas em algumas partes de Madagáscar. O arroz é o principal alimento do país, onde oito em cada dez pessoas vivem com menos de um dólar por dia.

De acordo com a FAO, as perdas na produção do cereal podem atingir até 630 mil toneladas ou um quarto da demanda anual para o país, afetando severamente a segurança alimentar e nutricional e os meios de subsistência dos mais vulneráveis.

*Apresentação: Denise Costa.