Estudo destaca impacto da produção de gás natural liquefeito em Angola

24 junho 2013

Banco Mundial diz que aposta pode contribuir com mais 2% para a taxa de crescimento; relatório sobre o país refere que operação deve iniciar este ano.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Banco Mundial prevê que a produção de gás natural liquefeito em Angola, possa contribuir com um adicional de dois pontos percentuais para a taxa anual de crescimento do Produto Interno Bruto, PIB, do país.

O estudo “Angola Atualização Económica”, efetuado pelo órgão refere que a medida está prevista para iniciar ainda este ano.

Crescimento do PIB

O derivado de petróleo, uma mistura de gases de hidrocarbonetos, é usado como combustível em aplicações de aquecimento que incluem fogões e automóveis.

O aumento sustentado na produção petrolífera foi fator de peso para as projeções de um crescimento do Produto Interno Bruto, PIB, de 7,2% em 2013 e 7,5% em 2014.

De acordo com a pesquisa, apesar de perspetivas económicas positivas, a dependência de Angola em relação às receitas da importação de petróleo deixa a “economia altamente vulnerável a choques externos.”

Riqueza Natural

As autoridades angolanas são aconselhadas a melhorar a gestão económica, que deve resultar na “transformação da riqueza natural em capital produtivo.”

Outra vantagem a ser trazida seria o lançamento de bases para a diversificação económica e a competitividade não-petrolífera, tida como vital para criar empregos, renda e reduzir a pobreza com um crescimento robusto do PIB.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud