Especialista elogia políticas portuguesas de combate à discriminação racial
BR

6 junho 2013

Segundo intregrante de Comitê da ONU sobre o tema, Cerd, Portugal tem maneira “franca e positiva” de tratar a questão dos migrantes; segundo dados oficiais, cerca de 50% dos estrangeiros que vivem no país são de nações lusófonas.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As políticas de migração de Portugal para combater a discriminação racial e integrar os migrantes que vivem no país foram elogiadas por um especialista no tema.

Recém reeleito para o Comitê das Nações Unidas para Eliminação da Discriminação Racial, Cerd, o embaixador brasileiro, José Augusto Lindgren Alves, disse que Portugal é um exemplo na integração de migrantes.

Modelo de Integração

Nesta entrevista à Rádio ONU, Lindgren Alves relembrou alguns dados do relatório de Portugal, apresentado ao Cerd, no ano passado.

“Eles chegaram a ganhar prêmio, foram escolhidos como o país de melhor modelo de integração para migrantes. Eles têm uma visão bastante franca de todos os problemas que ocorrem lá, não escondem absolutamente nada. E estão tentando fazer a integração de maneira bastante positiva. De modo geral, um posso lhe dizer que o relatório de Portugal foi um dos melhores apresentados ao Cerd.”

Dados do governo português indicam que cerca da metade dos estrangeiros que vivem em Portugal vem de países lusófonos.

O Comitê da ONU para Eliminação da Discriminação Racial analisa, periodicamente, o tema em países-membros da organização.

Integrante do Comitê desde 2002, o embaixador brasileiro foi reeleito para um novo mandato de 2014 a 2017.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud