Tragédia de Bangladesh expõe necessidade de globalização responsável
BR

4 junho 2013

Ajay Chhibber, secretário-geral assistente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, na região da Ásia-Pacífico.

Conforme o capital move-se para encontrar os locais mais baratos para produção, numa corrida para o nível mais baixo, o lado ruim da globalização chega aos lares do mundo inteiro através das horríveis imagens do trágico desabamento do prédio da fábrica de roupas em Bangladesh.

Normas e regulamentos insuficientes estão espalhados por “sweat shops” por todo o mundo em desenvolvimento. Consumidores de marcas de nome se escondem por trás do fato de que desconhecem as condições de trabalho desses funcionários pelos quais, seus produtos estão sendo manufaturados.

Custo Alto

A tragédia de Bangladesh mostra o custo alto de se ignorar a segurança e os padrões de condições de trabalho quando milhares de pessoas estão aglomeradas em prédios para reduzir custos e aumentar os lucros. O governo agora está considerando permitir a sindicalização e aumentar o salário mínimo para estas pessoas.

Trabalhar num “sweat shop” do setor têxtil foi uma forma de milhares de mulheres em Bangladesh deixarem a pobreza das áreas rurais, como acontece em várias outras partes dos países em desenvolvimento. Mas nós podemos fazer mais para garantir um mínimo de segurança e condições decentes de trabalho para esses funcionários? Alguns centavos extras pelas roupas modernas que compramos em lojas de departamentos luxuosas seria um preço justo a pagar por aqueles que morreram em Bangladesh e pelos milhões que trabalham sob duras condições, em fábricas similares ao redor do mundo.

Vizinhança

O despejo de poluentes químicos e condições de trabalho inseguras são um problema comum e representam uma falta de consideração total para com a saúde dos trabalhadores e das pessoas que vivem na vizinhança.

As chances de um dos empresários ser pego por violar as regras ambientais são muito pequenas, e mesmo quando acusados, eles geralmente escapam pagando uma multa ínfima ou pelo suborno.

Globalização não é uma questão de encontrar a parte do mundo mais barata e com menos regulação para servir de fonte para seus produtos, e dizer que empregos estão sendo criados.

As mortes dos trabalhadores em Bangladesh deveriam despertar a todos para a necessidade urgente de uma globalização responsável; a necessidade para um modelo de capitalismo que não seja apenas pela pouca regulamentação, mas pela quantidade necessária de normas adequadas seja nos setores financeiro, trabalhista, ambiental ou de segurança.

FIM

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud