ONU pede investigação sobre uso da força nas manifestações na Turquia

4 junho 2013

Agências noticiosas informaram que pelo menos duas pessoas perderam a vida devido aos protestos e distúrbios que vão no seu quinto dia; Escritório de Direitos Humanos saúda reconhecimento das autoridades de possível uso de força desproporcional.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório de Direitos Humanos das Nações Unidas  pediu que seja investigado o uso de força excessiva durante as manifestações na Turquia, e defende que os envolvidos sejam levados à justiça.

Em nota, emitida esta terça-feira, em Genebra, a entidade expressa preocupação com a medida tomada pelas forças de segurança contra manifestantes.

Distúrbios

O país viveu o quinto dia de protestos acompanhados de distúrbios em várias cidades, que já provocaram dois mortos em Istambul e na capital Ancara.

A Rádio ONU conversou, em Nova Iorque, com Michelle Alves de Lima, que acompanhou os primeiros três dias das manifestações hospedada num hotel da praça Taksim, local onde iniciaram os protestos.

Gás Lacrimogêneo

“Foi uma situação muito inesperada para os turistas e um pouco aterrorizante, pelo excesso do gás lacrimogéneo e pela tensão das pessoas que não estavam esperando esta manifestação e esta reação toda da polícia”, disse.

Ela descreveu como foram afetados os turistas que estavam nos arredores.

“É um momento tenso, você não sabe o que vai acontecer, de que forma você vai ser protegido. Não tinha como chamar a polícia se algo acontecesse porque a polícia também estava envolvida no conflito. É uma situação muito tensa ainda mais porque havia rumores de que seria um “verão turco” (em alusão à Primavera Árabe). Dá medo porque não sou turca e nem tenho um background  do que estava acontecendo e como aconteceu”, contou.

Mudanças

Os manifestantes saíram às ruas devido a um plano das autoridades que previa reformar o parque Gezi, na praça Taksim, em Istambul, mas alastraram-se rapidamente para

Foto: Jeffrey Alan Miller

outras cidades.

Na nota, o escritório saúda o reconhecimento, pelo governo turco, de que poderia ter sido usada força desproporcional.

De acordo com agências noticiosas, nesta terça-feira o governo pediu desculpas aos manifestantes feridos referindo que os protestos iniciais sobre a remodelação do parque eram “justas e legítimas”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud