No Japão,agências da ONU pedem investimento responsável contra a fome

No Japão,agências da ONU pedem investimento responsável contra a fome

Em comunicado conjunto, entidades referem que a agricultura foi 11 vezes mais eficaz na redução da pobreza do que os demais setores na África Subsaariana.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Agências da ONU apontaram o investimento responsável no desenvolvimento agrícola e rural sustentável como a chave para reverter a fome e a pobreza de forma mais eficaz nos países em desenvolvimento.

A medida estaria a cargo de governos e do setor privado, como defendem a Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, o Fundo Internacional para a Agricultura e o Programa Mundial da Alimentação.

Pobreza

Na África Subsaariana, o crescimento do Produto Interno Bruto, PIB, gerado pela agricultura foi 11 vezes mais eficaz na redução da pobreza do que o desempenho em outros setores apontaram as entidades.

As agências apresentaram a posição conjunta na 5ª. Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano, Ticad V, que decorre até esta segunda-feira no Japão.

Setor familiar

O pronunciamento defende a ênfase nos pequenos produtores e suas organizações, incluindo os do escalão familiar

O setor foi identificado como o que carece de atenção especial para a melhorar da segurança alimentar global e o empoderamento das mulheres rurais. A proposta é que sejam abordadas desigualdades de género transformadas as vidas das famílias e comunidades.

Agenda Pós-2015

As agências defendem, ainda, que sejam considerados grupos como pescadores, criadores de gado, utilizadores de florestas, trabalhadores rurais, empresários e populações indígenas nos investimentos.

Após terem sido lançados elogios aos esforços para reduzir a fome em África, a desnutrição e a pobreza extrema no continente foram identificados como temas a constar na agenda pós-2015, a seguir ao prazo de cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio.