Japão apoiou África com US$ 1,5 mil milhão perante crise de Fukushima

1 junho 2013

Em visita ao país asiático, Secretário-Geral pede destaque para áreas económicas, social e ambiental africanas; montante concedido pelas autoridades foi destinado a atividades de desenvolvimento.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O governo japonês foi elogiado, pelas Nações Unidas por ter concedido mais de US$ 1,5 mil milhão à organização para atividades de desenvolvimento em África, perante os desastres de Fukushima Daichi em 2011.

Neste sábado, na capital japonesa Tóquio, o Secretário-Geral, enalteceu a “generosidade e solidariedade” do país, que na altura lidava com os efeitos do terramoto, do maremoto, e da crise nuclear. Estima-se que 20 mil morreram ou desapareceram após a tragédia.

Pilares

Falando na 5ª Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano, Ticad V, Ban Ki-moon apontou as áreas económica, social e ambiental como pilares que devem ser abordados para ajudar o continente.

O chefe da ONU disse que a prioridade é aproveitar as oportunidades comerciais, os retornos elevados de investimento e a riqueza em potencial de África.

"Mãos Dadas"

As declarações foram feitas na abertura do evento que marca o 20º aniversário do Fórum com o lema “De Mãos Dadas Com Uma África Dinâmica."

Riqueza em potencial. Foto: Ticad V.

Para o representante, a nível social deve ser promovido o progresso na educação, saúde e autonomia das mulheres e desencadear o poder do que chamou “juventude vibrante” do continente.

Desafio

Já a nível ambiental, Ban disse que as nações africanas vão precisar de mais ajuda para lidar com os efeitos do meio ambiente, “apesar de não terem feito muito para causar o problema.” Ele lembrou que a mudança climática afeta milhões de pessoas.

O responsável disse estar a trabalhar num documento juridicamente vinculativo para lidar com as mudanças do clima a nível global até 2015. Para o efeito, líderes de todo o mundo devem reunir-se em Nova Iorque num encontro de alto nível sobre mudanças climáticas, em setembro de 2014.

Potencial

O chefe da ONU falou da possibilidade de transformar o desafio climático em uma oportunidade para realizar o que chamou “enorme potencial de África para a energia limpa.”

Como parte do Ticad V, Ban deve participar em debates sobre a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015, o setor privado, comércio, investimento como motores do desenvolvimento e a paz e estabilidade,

No fim da visita, no domingo, o Secretário-Geral toma parte num evento de alto nível coorganizado pelo Banco Mundial, a ONU e o Governo do Japão sob o tema “Construção da Resiliência a Desastres e ao Clima para o Desenvolvimento Africano.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud