Grupos armados libertam 41 crianças na República Centro-Africana

30 maio 2013

Unicef refere que sete raparigas integram grupo de idades até aos 17 anos; previsões apontam para possível reintegração menores nos próximos dias.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, saudou a libertação, esta semana, de 41 crianças que estavam ligadas a grupos armados na República Centro-Africana.

Em nota, a agência refere que sete raparigas estão no grupo de idades compreendidas entre os 14 e 17 anos. Num Centro de Orientação de Trânsito, na capital Bangui, os menores devem ter educação básica, desporto, qualificação profissional e apoio psicossocial.

Famílias

O processo deve decorrer enquanto são identificadas as suas famílias e é preparada a sua reinserção, destaca o Unicef.

Em dezembro, o país foi palco de combates entre o governo do presidente deposto, François Bozizé, as forças Seleka e grupos armados aliados. A agência aponta que os confrontos fizeram aumentar o recrutamento de crianças a nível nacional.

Negociações

Estimavas do período anterior à crise apontavam para a existência de mais de 2 mil menores associados aos grupos armados.

O governo de transição e a agência estiveram envolvidos nas negociações para a libertação dos menores, prevendo-se que “mais crianças sejam libertadas nos próximos dias e semanas.”

Para o Unicef, a violência e a insegurança tornam os menores mais vulneráveis ao recrutamento, particularmente quando estão separados das famílias, são deslocados ou têm acesso limitado a serviços básicos e à educação.

No ano passado, 345 crianças associadas a grupos armados passaram pelo processo, o que elevou para mais de mil meninas e meninos libertados com o apoio da agência desde 2007.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud