Ban chega ao Ruanda, após pedir retoma de negociações sobre RD Congo

Ban chega ao Ruanda, após pedir retoma de negociações sobre RD Congo

Secretário-Geral pede retomada de negociações de Kampala entre as partes congolesas e da região; agências noticiosas falam de pelo menos 20 mortos em pesados combates entre governo e o M23, em Goma.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral das Nações Unidas chegou, esta quinta-feira, ao Ruanda, após ter concluído a sua visita à vizinha República Democrática do Congo, RD Congo.

A próxima etapa do seu périplo é o Uganda, de onde deve seguir para as comemorações do Jubileu de Ouro da União Africana na capital etíope, Addis Abeba no fim de semana.

Recorrência

Falando a jornalistas, antes de deixar a capital congolesa, Kinshasa, Ban Ki-moon afirmou ter ficado profundamente preocupado com “a recorrência da violência causada pelos rebeldes do M23.”

Ban considerou a situação volátil e sublinhou que não deve ser subestimada.  O Secretário-Geral disse esperar que todas as partes envolvidas resolvam as suas questões por meio da retomada das negociações de Kampala, apelando à participação do grupo de dissidentes do exército, das Forças Armadas congolesas, Fardc, e das partes interessadas.

Combates

Agências noticiosas dizem que pelo menos 20 pessoas morreram em pesados combates entre o governo e as forças do M23, iniciados, esta segunda-feira, na capital provincial do Kivu Norte, Goma.

Trata-se dos primeiros confrontos entre as duas partes desde a retirada dos rebeldes da cidade, no ano passado, após terem tomado o seu controlo em novembro.

Recrutamento

Ban disse que decorre o processo de recrutamento de soldados com vista a acelerar a implantação da Brigada de Intervenção, que “deve ser feita o mais breve possível.” A força foi aprovada, em março passado, pelo Conselho de Segurança.

O chefe da ONU explicou que o mandato específico da Brigada era impor a paz e a segurança “sempre que a situação se agrave a ponto de colocar em perigo os direitos humanos e as populações civis.”

Empenho

O anúncio do investimento de 1 mil milhão à região, pelo Banco Mundial, é para o Secretário-Geral o início da parceria “de uma forma prática” entre as Nações Unidas e o órgão

Para o representante, a atribuição do montante à República Democrática do Congo e à região africana dos Grandes Lagos demonstra o empenho em fazer muito mais para os países afetados pelas crises no mundo.