OMS descarta necessidade de segunda dose de vacina contra febre-amarela

17 maio 2013

Segundo Organização Mundial da Saúde, uma dose única é suficiente para garantir a imunidade contra a doença; vacinação é considerada a forma mais importante e eficaz de prevenção da doença, que não tem cura.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou, esta sexta-feira, que não há necessidade do reforço da vacinação contra a febre-amarela, 10 anos depois de ser administrada a primeira dose.

Num artigo publicado pela agência, especialistas em imunização confirmam que, após revisão de provas, foi concluído que a dose única da vacina é suficiente para garantir a imunidade contra a doença por toda a vida.

Desconforto

A estimativa da OMS é de 200 mil casos anuais em todo o mundo. O quadro grave da doença ocorre em 15% das pessoas infetadas e até metade desses pacientes morrem. Não há cura e o tratamento visa reduzir o desconforto dos pacientes.

De acordo com a OMS, a maioria dos casos e das mortes ocorre na África Subsaariana. Nos últimos 20 anos, o número de casos no mundo aumentou devido à diminuição da imunidade da população a infeções, à desflorestação, à urbanização e às alterações climáticas.

Pessoas Vacinadas

A vacinação contra a febre-amarela começou em 1930 e desde então, foram identificados apenas 12 casos em pessoas vacinadas. Foram 600 milhões de doses distribuídas mundialmente.

A OMS diz que “entre este pequeno número de falhas”, os casos foram desenvolvidos nos cinco anos seguintes à vacinação. Para a agência da ONU, o facto prova que a imunidade não diminui com o tempo.

Calendário

A especialista da OMS, Helen Rees, destaca que o fato de uma única dose de vacina contra a febre-amarela ser eficaz é “extremamente importante para os países onde a doença é endémica”, pelo facto de permitir reorganizar o calendário de vacinações. A agência ressalta que a notícia também é importante para viajantes e turistas.

A febre-amarela é uma doença viral hemorrágica, transmitida por mosquitos infetados e endémica em 44 países, em áreas tropicais de África e das Américas.

A vacinação é considerada a forma mais importante e eficaz de prevenção, com a imunidade a ocorrer em 30 dias para 99% dos que recebem a vacina.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud