ONU afirma que economia baseada em mercadorias é o futuro da África

ONU afirma que economia baseada em mercadorias é o futuro da África

Relatório económico das Nações Unidas diz que mudanças ocorridas, nos últimos 50 anos, colocaram o continente numa posição de potência global económica; especialistas afirmam que oportunidade deve ser aproveitada.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A ONU afirmou que as profundas reformas ocorridas em África nos últimos 50 anos fizeram com que o continente surja agora como uma potência global económica.

Um relatório preparado pela Comissão Económica das Nações Unidas para a África e pela União Africana, concluiu que uma industrialização maciça baseada nas mercadorias é imperativa, possível e beneficiará todo o continente.

Oportunidade

Para os especialistas, os países africanos devem aproveitar tal oportunidade preparando uma estratégia específica para cada região. Essa iniciativa, segundo o documento, vai ajudar no desenvolvimento e acelerar o processo usando a enorme quantidade de recursos e aproveitando o alto preço das mercadorias.

Entre as principais ao nível do continente estão produtos agrícolas e minerais, como o açúcar e o petróleo.

União

O relatório diz que, individualmente ou coletivamente, os países africanos devem “embarcar nesta profunda mudança que permitirá que o continente assuma o controlo de seu próprio desenvolvimento.”

O documento refere como as nações podem criar e implementar políticas que promovam valor adicionado e a transformação económica. Ao mesmo tempo, essas medidas vão ajudar a reduzir a dependência dos países na produção e exportação de matéria-prima.

A Comissão Económica da ONU e a União Africana pediram ações urgentes para aliviar os problemas de infraestrutura por todo o continente. Ela recomendou também uma melhor política de implementação através de uma coordenação conjunta entre os países para evitar o fracasso de tentativas anteriores.

*Apresentação: Eleutério Guevane.