No Brasil, "falta de verbas dificulta manejo sustentável de florestas"
BR

15 abril 2013

Afirmação é do chefe da Divisão de Meio Ambiente do Ministério das Relações Exteriores; Paulino Franco Neto participa do Fórum sobre Florestas da ONU, na Turquia.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.* 

Os desafios para a proteção das florestas brasileiras foram ressaltados por um representante do governo durante o Fórum sobre Florestas das Nações Unidas, que ocorre em Istambul, na Turquia.

Segundo o chefe da Divisão de Meio Ambiente do Itamaraty, o país tem implementado políticas públicas para a conservação da Amazônia desde a década de 1990.

Demandas

Mas Paulino Franco Neto afirmou à Rádio ONU, nesta segunda-feira, que o principal desafio é a falta de verbas.

“Em relação às dificuldades que nós temos para a implementação do manejo sustentável de florestas, o maior deles seguramente é a insuficiência de recursos financeiros. Mas nós temos procurado aumentar os recursos dirigidos às florestas. Nós temos uma estrutura pública razoavelmente organizada que permite o atendimento dessas demandas.”

Paulino Neto está representando o Brasil na última semana do Fórum sobre Florestas, que terminará na sexta-feira.

Desmatamento

Na abertura da conferência, no dia 8, o subsecretário-geral para o Meio Ambiente do país, Luiz Alberto Figueiredo, destacou que as florestas brasileiras cobrem uma área maior do que toda a União Europeia.

Ele afirmou que o país criou fundos ambientais, sociais e florestais e que o financiamento é “crucial” para a implementação do manejo sustentável.

Segundo Figueiredo, a taxa de desmatamento do Brasil em 2011 foi a menor desde 1988. Ele disse que no ano passado, o país aprovou um novo “Ato Florestal”, para proteger pequenos agricultores e fornecer financiamento para reflorestamento e reabilitação de áreas degradadas ilegalmente.

*Com reportagem de May Yaacoub.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud