Passar para o conteúdo principal

Mais de 74 mil pessoas fogem de conflitos tribais em Darfur BR

Mais de 74 mil pessoas fogem de conflitos tribais em Darfur

Segundo o Acnur, os civis seguiram para o Chade; este é o maior fluxo de refugiados do Sudão para o país vizinho desde 2005.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Segundo o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, conflitos internos entre tribos na região de Darfur, no Sudão, já levaram mais de 74 mil civis a fugir para o país vizinho, o Chade.

O total é um balanço dos últimos dois meses, mas só na última semana, foram 50 mil pessoas que deixaram Darfur. O Acnur destaca que este é o maior fluxo de refugiados sudaneses que seguem para o Chade desde 2005.

Traumas e Exaustão

Os civis fogem dos confrontos que ocorrem na cidade de Um Dukhun, a oeste de Darfur. Mulheres e crianças são a maioria dos refugiados. O Acnur explica que as pessoas fazem a travessia a pé, em burros ou em carroças. Elas chegam exaustas, traumatizadas e visivelmente perturbadas com a violência que presenciaram.

Muitos refugiados viram suas casas serem destruídas e vilarejos serem incendiados. Outros relatam que parentes foram assassinados. De acordo com o Acnur, os que chegam na cidade de Tissi não encontram água nem comida e dormem sob as árvores. Há pessoas que chegam baleadas e não há centro de saúde na área.

Área Remota

A área onde os refugiados chegam é muito remota e de difícil acesso. O escritório do Acnur mais próximo fica a 230 km. A agência já enviou equipes para a fronteira entre o Sudão e o Chade, que prestam assistência aos civis.

Cobertores, comidas e medicamentos também estão sendo enviados para o local, afirma o Acnur. As autoridades locais forneceram 100 toneladas de alimentos, que a agência da ONU transportou para Tissi.

O Acnur está preocupado com um possível aumento no número de deslocados, já que os conflitos continuam.