Plano global quer salvar 2 milhões de crianças da diarreria e da pneumonia
BR

11 abril 2013

Iniciativa do Unicef e da OMS tem como meta reduzir em 75% as mortes de menores de cinco anos, até 2025, por causa das duas doenças.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, lançaram, esta quinta-feira, um plano de ação global para combater a pneumonia e a diarreia.

As duas doenças juntas matam 2 milhões de crianças, com menos de cinco anos, todos os anos no mundo.

Objetivo

Segundo a OMS e o Unicef, o objetivo do programa é reduzir o número de mortes em 75%, até 2025, se comparado com os níveis registrados em 2010.

Para atingir essa meta, é necessário que 90% das crianças tenham acesso a antibióticos para combater a pneumonia e aos sais para reidratação no caso da diarreia. O aleitamento materno também é uma forma de proteção, e as agências querem incentivar essa prática.

Higiene

O Plano de Ação Global determina ainda que até 2030 e 2040, haja acesso universal à água potável, saneamento básico e a energia limpa, produzida por fontes renováveis.

Outro ponto importante de higiene básica, segundo a OMS e o Unicef, é que o simples lavar as mãos com água e sabão estejam disponíveis a todos em casa ou hospitais.

Segundo as duas agências da ONU, quase 90% das mortes de crianças causadas pela pneumonia ou pela diarreia acontecem na região Subsaariana da África e no sul da Ásia.

Luta Isolada

Numa entrevista à Rádio ONU, de Luanda, o representante do Unicef em Angola, Koenraad Vanormelingen, disse que a luta contra as duas doenças não deve ser isolada.

“A prevenção das diarreias e das infeções respiratórias passa por competências familiares para proteger a criança para viver num ambiente que tem boa higiene, água segura, lavagem das mãos e falta de infeções. É também necessário cumprir com o esquema de vacinações e assegurarmos que haja uma boa nutrição. A gente está a viver em condições difíceis. Sem emprego seguro não podem garantir a proteção das crianças. Não se pode distinguir a luta contra estas doenças, que matam as crianças, da luta contra a pobreza e o desenvolvimento, em geral,” declarou.

Estratégias

O plano pede um esforço integrado para prevenir e tratar as doenças. A diretora do setor de recém-nascidos da OMS, Elizabeth Mason, disse que, geralmente, as estratégias para combater a pneumonia e a diarreia correm em paralelo.

Segundo ela, os programas integrados que estão sendo aplicados em países como Bangladesh, Camboja, Etiópia, Malauí, Paquistão e Tanzânia mostram que esse esforço conjunto faz sentido.

Equidade

O chefe global dos programas de saúde do Unicef, Mickey Chopra, afirmou que este é um problema de equidade. Chopra disse que as crianças pobres, nos países de baixa renda, correm maior risco de contrair tanto pneumonia como diarreia.

Ele declarou que se as populações dos 75 países com os índices mais altos de mortes receberem a cobertura dada aos mais ricos, o plano de ação poderá evitar a morte de 2 milhões de crianças já em 2015.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud