Preços da comida aumentaram 1% em Março, diz FAO

11 abril 2013

De acordo com Índice de Preços Alimentares, subida foi impulsionada pelo valor dos laticínios; em 2013, produção de cereais deve superar previsões anteriores e aproximar-se do recorde registado há dois anos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Os preços dos alimentos registaram um aumento de 1% em março, disse a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO. O Índice de Preços Alimentares, lançado esta quinta-feira, indica que a subida foi impulsionada pelos laticínios.

Em um mês, a evolução dos preços dos derivados do leite foi de 22 pontos, situando-se em 225. O aumento é considerado um dos maiores registados até ao momento.

Preços Estáveis

Por outro lado, os valores de produtos como cereais, gorduras, oleaginosas, carne e açúcar permaneceram estáveis durante o período analisado.

Entre as causas do fenómeno está o tempo quente e seco na Oceânia, o que levou à queda abrupta da produção de leite e uma redução no processamento dos seus derivados na região.

Cálculo

A agência também atribui o aumento à subida dos preços de exportação dos laticínios no maior produtor mundial, a Nova Zelândia. O ajuste também ocorreu em menor grau nos Estados Unidos e na União Europeia, e foi aliado ao inverno rigoroso na Europa.

A FAO refere que os derivados do leite têm um peso de 17% no cálculo do valor dos bens de primeira necessidade.

Oferta

Entretanto, a agência fez uma revisão positiva da situação de oferta e procura mundial de cereais. A produção de trigo deverá aumentar para 690 milhões de toneladas este ano, o valor mais próximo do recorde de 700 milhões de toneladas produzidas em 2011.

A FAO refere que, em 2013, a produção mundial de cereais poderia recuperar fortemente se não fosse o clima desfavorável nas principais regiões produtoras.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud