ONU fala de subvalorização florestal, em Fórum Mundial

8 abril 2013

Em Istambul, subsecretário-geral para os Assuntos Sociais diz que matas continuam a ser dizimadas pela agricultura e outras formas de uso da terra sem qualquer planificação; ONU estima que perda anual esteja em torno de  13 milhões de hectares.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Os serviços prestados pelas florestas continuam a ser subestimados, subvalorizados e dominados pelos mercados, disse o subsecretário-geral para os Assuntos Sociais.

Wu Hongbo falava, esta segunda-feira, no arranque do 10º Fórum sobre as Florestas em Istambul, perante meia centena de governantes de alto nível e representantes dos 197 Estados-membros da ONU.

Desenvolvimento

Este ano, o evento é realizado sob o lema “Florestas para o Desenvolvimento Económico”. O representante disse que as matas continuam a ser dizimadas pela agricultura e outras formas de uso da terra sem qualquer planificação, causando consequências adversas ambientais, sociais e económicas.

De acordo Wu Hongbo, há provas de que tais impactos estejam dentro das fronteiras nacionais e, frequentemente, haja consequências além-fronteiras. Para abordar a questão, o subsecretário-geral pediu esforços concertados em prol das florestas, a nível regional e global.

Plataforma

O fórum foi estabelecido no ano 2000 como plataforma de desenvolvimento de políticas e de cooperação internacional sobre as florestas. O objetivo é promover a sustentabilidade das matas em todo o mundo, além de reforçar o compromisso político em torno dos recursos.

A organização realçou a importância do papel desempenhado pelas florestas para reverter as mudanças climáticas, incluindo o aquecimento global,  a conservação da fertilidade da água e dos meios de sobrevivência dos que são dependentes das matas.

Gestão

O evento, a decorrer até 19 de abril, visa analisar e apresentar uma série de medidas para melhorar a gestão florestal sustentável.

Na abertura do fórum, o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, disse que os países desenvolvidos devem começar a questionar os itens que produzem.

Tragédias

Segundo referiu, há que perguntar como “um grama de ouro, um litro de gasolina, um metro cúbico de gás e um saco de carvão” entram nas casas. Conforme sublinhou, há necessidade de questionar sobre as prováveis tragédias ocorridas para os bens terminassem nas casas.

De acordo com a ONU, as florestas cobrem mais de 30% das terras do planeta e garantem a subsistência de 1,6 mil milhão dos mais pobres do mundo.

Entretanto, estima-se que mais de 13 milhões de hectares de florestas são perdidos anualmente, uma área equivalente ao tamanho da Inglaterra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud