Hipertensão afeta cerca de metade dos adultos em África, diz OMS

3 abril 2013

Agência lança alerta para marcar o Dia Mundial da Saúde neste 7 de abril; reafirmada a necessidade de adoção de medidas como  redução de sal nos alimentos e consumo de mais frutas e vegetais com potássio.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A epidemia de hipertensão é mais grave em África, onde até 46% dos adultos sofrem da doença, refere a Organização Mundial da Saúde, OMS.

A agência considera fundamental o controlo da tensão arterial para resolver o problema. Para a OMS, o conhecimento dos níveis da própria tensão, ajuda a reduzir o risco de desenvolver outras doenças.

Complicações

A agência lançou o alerta pouco antes do Dia Mundial da Saúde, assinalado a 7 de abril. A intensificação de esforços para combater o problema é defendida pela agência, pelo facto da hipertensão causar doenças cardiovasculares, falhas nos rins, cegueira e outras complicações.

O médico da OMS, Shanti Mendis, lembrou que, na maioria dos casos, os sintomas da tensão arterial alta permanecem indetetáveis até o aparecimento de complicações.

Sal

Mendis disse que quem tem mais de 40 anos deve medir regularmente a tensão. O especialista contou que a redução de sal nos alimentos, o consumo de mais frutas e vegetais contendo potássio ajudam o controlo.

Outras formas inteligentes apontadas para evitar o problema são a prática de exercícios físicos, não beber álcool em excesso e manter o peso são.

*Apresentacão: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud