Missão no Iraque condena onda de ataques a profissionais da mídia
BR

3 abril 2013

Nesta segunda-feira, homens armados invadiram as redações de quatro jornais independentes e espancaram os empregados; representante da ONU no país disse que os ataques a jornalistas são inaceitáveis.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Iraque viveu nesta segunda-feira uma onda de violência a profissionais da mídia e da imprensa.

Os incidentes ocorreram em Bagdá, capital do país, onde as redações de quatro jornais independentes foram invadidas por homens armados.

Proteção

Em nota, o chefe da Missão da ONU no Iraque, Martin Kobler, disse que os ataques são “inaceitáveis sob quaisquer circunstâncias.” Ele pediu às autoridades iraquianas que reforcem a proteção aos profissionais da mídia no país.

De acordo com a Unesco, o Iraque continua sendo um dos destinos mais perigosos para jornalistas.

No caso dos ataques às redações, os criminosos espancaram os empregados dos quatro jornais.

Xiitas

Ao reagir aos incidentes, a Unesco afirmou que o Iraque está registrando uma onda crescente de violência em todo o país com ataques sectários, e em lugares de maior presença de muçulmanos xiitas.

A Unami e a Unesco pediram ao país que investigue o incidente e que leve os responsáveis à justiça.