Estudo publicado pela OMS cita medidas do Brasil contra gordura trans
BR

2 abril 2013

Pesquisadores da Universidade de Sidney, na Austrália, avaliaram políticas de sete países para remover esse tipo de gordura dos alimentos; redução no consumo é importante para prevenir uma série de doenças.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

O boletim da Organização Mundial da Saúde, OMS, traz na edição de abril um estudo sobre a eficácia de medidas contra a gordura trans nos alimentos.  Pesquisadores da Universidade de Sidney, na Austrália, avaliaram políticas de sete países, incluindo Brasil, Canadá e Estados Unidos.

O resultado foi que nos últimos 20 anos, as ações foram eficazes e os fabricantes diminuíram a quantidade dessa gordura nos produtos.

Margarina

O estudo destaca a importância de indicar a presença dessa gordura nos rótulos de embalagens. Segundo os pesquisadores, em países onde a conscientização sobre gordura trans é baixa, as chances da indústria reformular seus produtos é menor.

No Brasil, o nível de gordura trans de algumas margarinas foi mantido em mais de 50% mesmo após regulamentação. Os autores do estudo acreditam que os consumidores deveriam estar pouco conscientes sobre a mudança. Mas o país ganha destaque por ter políticas nacionais que obrigam os fabricantes a informar a porcentagem de gordura trans nas embalagens.

O consumo de alimentos com gordura trans está associado a maiores riscos de doenças do coração, colesterol alto, diabetes, infertilidade e até Alzheimer.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud