Unesco e União Africana organizam fórum sobre cultura da paz em Angola

27 março 2013

Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, reconhece que sem paz não é possível o desenvolvimento em África em declarações feitas na Conferência sobre a Cultura de Paz; evento organizado pela Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, decorre até quinta-feira.

Herculano Coroado, da Rádio ONU em Luanda.

O presidente de Angola lembrou a permanente existência de vários conflitos armados em países africanos, como o Mali, Nigéria, a Somália, Líbia e o Sudão do Sul que, como ele observou, põem em risco a vida de milhões de civis inocentes, homens, mulheres e crianças.

Para o caso da República Centro-Africana, o chefe de Estado angolano apelou à intervenção da União Africana, após ter condenado o golpe militar que recentemente depôs o presidente François Bozizé.

Acordos de Paz

"E é neste contexto que aproveito esta ocasião para condenar, com firmeza, o golpe de Estado que ocorreu na República Centro Africana e apelar à União Africana que tome as medidas necessárias para o restabelecimento da legalidade e da aplicação dos acordos de paz de Libreville", disse.

Sublinhando o esforço de Angola para a manutenção da paz, obtida em 2002, José Eduardo dos Santos disse que ela é condição indispensável para a obtenção do progresso, da justiça, da igualdade de oportunidades e do respeito pelos direitos fundamentais dos cidadãos.

Partilha de Recursos

Dos Santos disse que a paz duradoura consolida-se com o desenvolvimento e a partilha equilibrada dos seus benefícios. Para tal, era preciso "cuidar da satisfação material, moral e espiritual das pessoas, das famílias e do povo em geral, para que a paz assente em alicerces firmes e se possa perpetuar."

"Acreditamos que com o apoio firme e resoluto da comunidade internacional, de que esta conferência é um exemplo, África poderá dispor de mais condições para por cobro aos conflitos ainda em curso e combater as suas causas profundas, a fim de se instaurar uma era de paz duradoura, eliminar a pobreza e alcançar um progresso sustentável que permita a plena integração dos nossos países em pé de igualdade na economia mundial", destacou.

Participantes

O presidente angolano na abertura do Fórum sobre a Cultura de Paz em África. O evento é uma organização conjunta entre a União Africana e a Unesco.

O diretor da Unesco em Paris, Vincent Defourny, coordena a equipa intersetorial encarregue de intensificar a cooperação com Angola que alcançou a paz há 11 anos. Um empreendimento sob observação dos participantes à Conferência sobre a Cultura de Paz em África.

Empreendimento

"É um empreendimento de grande envergadura que vai demorar um certo tempo. É uma semente que está colocada aqui em Luanda. Esperamos que cresça em toda a África", considerou.

O Fórum sobre a Cultura de Paz termina, nesta quinta-feira, na capital angolana.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud