Perspectiva Global Reportagens Humanas

Conselho de Segurança deplora ataque que matou mais de 40 na Síria

Conselho de Segurança deplora ataque que matou mais de 40 na Síria

Agências de notícias citam a imprensa oficial síria referindo que um bombista suicida teria provocado a explosão no interior de uma mesquita; um clérigo muçulmano teria perdido a vida no ato.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Conselho de Segurança condenou “nos termos mais fortes” o ataque contra uma mesquita na capital Síria, Damasco, nesta quinta-feira.

De acordo com o órgão, o incidente resultou em mais de 40 mortos, incluindo um clérigo muçulmano, e  no ferimento de dezenas de civis.

Recuperação

Em nota, emitida nesta sexta-feira, os 15 países-membros manifestaram pêsames às famílias das vítimas e desejaram uma rápida recuperação aos feridos, devido ao que caracterizam como “ato hediondo” para o povo sírio.

Agências de notícias citam a imprensa oficial síria referindo que a explosão, ocorrida no bairro de Mazraa, teria sido levada a cabo por um bombista suicida que entrou no local. O ataque ainda não foi reivindicado.

Manifestações

Os membros do Conselho de Segurança reafirmam que “o terrorismo, em todas as suas formas e manifestações, constitui uma das mais graves ameaças à paz e à segurança internacionais”.

De acordo com o órgão, “os atos de terrorismo são criminosos e injustificáveis”, independentemente de sua motivação, onde, quando e por quem tiverem sido cometidos.

Obrigações

O Conselho reitera a determinação de combater todas as formas de terrorismo, no âmbito das responsabilidades nos termos da Carta das Nações Unidas, e reafirmou a condenação de todos os atos de violência contra civis.

Aos Estados, os países-membros do orgão pediram que garantam o cumprimento de medidas de combate ao terrorismo e as suas obrigações ao abrigo do Direito Internacional, em especial aos direitos humanos, de refugiados e do direito humanitário.