Unicef pede proteção à criança em vésperas de referendo no Zimbabué

Unicef pede proteção à criança em vésperas de referendo no Zimbabué

Diretor executivo da agência quer que habitações, comunidades e escolas continuem a ser refúgio seguro; consulta constitucional está agendada para 16 de março e será seguida por eleições gerais no fim do ano.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo da ONU para a Infância, Unicef, pediu às autoridades zimbabueanas que protejam os menores nas vésperas do referendo constitucional e das eleições gerais previstas para o fim deste ano.

O diretor executivo da agência, Anthony Lake, disse que em tempos de grande incerteza, devido ao aproximar do pleito, é  importante que habitações, comunidades e escolas continuem a ser refúgio seguro.

Acesso Ininterrupto

Conforme referiu, há necessidade de garantir o acesso ininterrupto a serviços sociais básicos para as crianças. Para o representante, os menores devem ser protegidos da turbulência política.

Lake pediu que seja garantido que as crianças e as mulheres não sofram atos de violência e perturbação no referendo previsto para 16 de março e nas eleições gerais.

Acordo

Em 2008, o pleito foi marcado por dezenas de mortos devido à violência entre apoiantes do presidente Robert Mugabe e do primeiro-ministro, Morgan Tsvangirai. Ambos assinaram um acordo para a formação do atual governo de unidade nacional.

Tsvangirai e o ministro interino das Relações Exteriores, Nicholas Goche,  garantiram a proteção das crianças na visita que Lake concluíu nas vésperas do fim de semana.

Durante a deslocação, foram contactados estabelecimentos que beneficiaram de medicamentos e de livros, com o apoio do Unicef.