Refugiados sírios atingem fasquia de 1 milhão, refere Acnur

6 março 2013

Agência chama a atenção para a existência de milhões de deslocados internos além de milhares de pessoas a atravessar fronteiras; metade dos refugiados é composta por crianças.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O número de refugiados que deixou a Síria devido ao conflito já atingiu um milhão, apontou o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur.

Em comunicado, o chefe da agência, António Guterres, disse haver mais de 400 mil refugiados registados nos últimos três meses.

Crianças

Segundo referiu, os sírios chegam traumatizados, sem posses após terem perdido membros das suas famílias. O Acnur defende que as crianças representam cerca de metade dos refugiados, sendo a maioria menor de 11 anos.

Em entrevista à Rádio ONU, do Vale do Bekaa no Líbano, o agricultor Salah Saad falou das consequências do aumento de refugiados sírios para as comunidades locais. O Acnur refere que a população do país cresceu 10%.

Preços

“Estão aumentando bastante os refugiados chegando aqui. Não têm como viver e nem como dormir. Muitas coisas subiram de preço como o arroz, o feijão, a carne, a verdura quase tudo tudo. No inverno usamos o diesel, que também aumentou bastante. Não sei o que vai acontecer com a gente. Para nós, a vida já está muito difícil e com eles como será? Todos estão connosco e não sei o que vai acontecer”, referiu.

Fronteiras

A agência da ONU refere haver milhões de deslocados internos e que, diariamente, milhares de pessoas continuam a atravessar as fronteiras. De acordo com Guterres, a Síria evolui para uma situação de desastre em grande escala.

A agência disse estar a fazer tudo para ajudar perante a resposta humanitária internacional no limite das capacidades . Guterres pediu que “ a tragédia seja  interrompida”

África e Europa

Além do Líbano, os países de destino dos sírios são a Jordânia, a Turquia, o Iraque e o Egito. A agência sublinha a ocorrência de uma fuga de cada vez de sírios para o norte da África e Europa.

O  fluxo de refugiados na região provocou a sobrecarga de serviços como eletricidade, água, saúde e educação na Jordãnia, além do gasto de  mais de US$ 600 milhões para a construção de 17 campos de refugiados na Turquia.

O Acnur refere que o Iraque recebeu mais de 100 mil refugiados sírios no ano passado. O número veio a aumentar os esforços do país que lida com mais de um milhão de deslocados internos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud