Perito alerta para possíveis deslocamentos devido às eleições no Quénia

Perito alerta para possíveis deslocamentos devido às eleições no Quénia

Relator sobre os Direitos Humanos dos Deslocados Internos aponta o aumento de casos de violência localizada durante a corrida eleitoral; eleições legislativas e presidenciais decorrem na próxima semana.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O relator especial sobre os Direitos Humanos dos Deslocados Internos pediu um aumento significativo de esforços para evitar o deslocamento interno devido a receios de violência em vésperas das eleições gerais no Quénia.

O apelo de Chaloka Beyani foi dirigido, esta terça-feira, às autoridades quenianas e à comunidade internacional. A votação para as legislativas e presidenciais está agendada para 4 de Março.

Violência Localizada

O perito independente da ONU referiu-se ao aumento de casos de violência localizada na campanha eleitoral, apesar de referir que a intervenção do Governo tem ajudado a melhorar a situação.

O relator também alertou para tensões intercomunitárias e seu o potencial de aumentar o risco de violência, a nível local, após as eleições. No ano passado, mais de 116 mil pessoas foram deslocadas devido ao tipo de violência.

Mortos

Em Dezembro de 2007, as eleições gerais foram seguidas por violência que resultou na morte de mais de 1,1 mil pessoas. Estima-se que outras 3,5 mil tenham ficado feridas e 600 mil foram obrigadas a deixar as suas casas.

A ONU refere que o deslocamento interno é registado a seguir a cada ciclo eleitoral desde 1991/1992.

Reformas

As eleições deste ano são as primeiras a seguir à aprovação da Constituição queniana de 2010. A nova Lei introduziu reformas políticas, tendo em conta a violência pós-eleitoral.

O relator exortou às autoridades quenianas para que, desta vez, reforcem as medidas levadas a cabo pela instituição nacional de gestão de crises, com vista a evitar o deslocamento.

Aos doadores,  Beyani pediu mais apoios para os esforços de preparação com vista a garantir a segurança e a dignidade dos deslocados em caso de um possível deslocamento no Quénia.