Celebrado acesso de ajuda de emergência para 40 mil pessoas na RD Congo

15 fevereiro 2013

PMA anuncia chegada de alimentos a Punia, a capital da provícia ocidental de Maniema; combates entre os rebeldes Mai Mai e o exército congolês em área de mineração fizeram milhares de deslocados em duas semanas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais de 20 mil toneladas de alimentos de emergência foram entregues a milhares de deslocados que, nas últimas duas semanas, chegaram à cidade de Punia, no leste da República Democrática do Congo, RD Congo.

O anúncio foi feito, esta sexta-feira, pelo Programa Mundial da Alimentação, PMA. A agência defende que o centro urbano, que é a capital provincial de Maniema é um dos que apresenta as maiores dificuldades de acesso no país.

Limitações

O auxílio foi transportado nos últimos dois dias e deve alimentar cerca de 40 mil pessoas, refere o PMA. A maioria vive com familiares que já convivem com limitação de recursos.

A agência aponta para a ocorrência de combates entre os rebeldes Mai Mai e o exército congolês numa área de mineração na fronteira entre as províncias do Kivu Norte e Maniema, que acolhe cerca de 163 mil deslocados.

Estrada

O diretor do PMA na RD Congo, Martin Ohlsen,  disse que a área carece de instalações para armazenar bens de forma adequada, além da estrada lamacenta com mais de 18 km.

O avião tem sido o único método disponível para levar suprimentos de alimentos para a região. Nos últimos dias, chuvas fortes tornaram as estradas intransitáveis para veículos de grande porte, defende o PMA.

Grupos Armados

A RD Congo é afetada por crises em cinco províncias do leste, onde vários grupos armados lutam para expandir as suas zonas de controlo.

O Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, defende que existem cerca de 2,6 milhões deslocados internos no país da região africana dos Grandes Lagos.