ONU pede melhoramento do judiciário e nos direitos humanos na Somália

ONU pede melhoramento do judiciário e nos direitos humanos na Somália

Relatório do Secretário-Geral sobre o país destaca ameaça permanente contra jornalistas e relatos da incidência da violência sexual.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas apelaram para o melhoramento do setor judiciário e o respeito aos direitos humanos no âmbito do desenvolvimento do setor da segurança na Somália.

A declaração consta do relatório do Secretário-Geral da ONU sobre o país, apresentado, esta quinta-feira, no Conselho de Segurança. O documento foi lido pela secretária-geral assistente para os Assuntos Políticos, Tayé-Brook Zerihoun.

Violência Sexual

Ban Ki-moon refere estar particularmente preocupado com a ameaça permanente a jornalistas que trabalham no país e com a incidênciaa da violência sexual.

O caso que envolveu uma alegada vítima de estupro e um jornalista somali condenados à prisão, a 5 de Fevereiro, foi citado para ressaltar a necessidade de investimento para promover normas internacionais de direitos humanos.

Extremistas

Falando na ocasião, o governo da Somália manifestou empenho em continuar a luta contra os extremistas do al-Shabaab “até a vitória final”, no país do Corno de África.

A ministra somali das Relações Exteriores, Fawzia Yusuf Adam, apontou o que chamou renascimento ao sublinhar que o conflito e a animosidade entre os líderes fazem parte do passado. Para a governante, o presente é marcado pela prevalência de um clima de cooperação.

Soberania

Para abordar as questões de segurança, a governante anunciou a elaboração de um Quadro Político de Seis Pilares que abrange áreas como boa governação, finanças, prestação de serviços, relações internacionais, soberania e integridade.

Em colabora,cão com a Missão da ONU na Somália, Amisom, a ministra disse que o governo realiza ações com vista a estabelecer administrações locais em áreas recém-recuperadas do centro e do  sul.