ONU fala de possibilidade de implantação de uma missão no Mali

ONU fala de possibilidade de implantação de uma missão no Mali

Subsecretário-geral para as Operações de Manutenção da Paz diz que comunidade internacional revelou intenção de levar a cabo todas as ações necessárias para a nação da África Ocidental.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O subsecretário-geral para as Operações de Manutenção da Paz das Nações Unidas referiu-se a um possível estabelecimento de uma missão no Mali.

Em declarações a jornalistas na sede da organização, em Nova Iorque, Hervé Ladsous, sublinhou que todas as indicações apontam para a tomada da medida, que avançou estar em fase de preparação.

Bruxelas

Nesta quarta-feira decorreu uma reunião sobre o país na capital belga, Bruxelas, que além da ONU envolveu representantes da União Africana e da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, Cedeao.

Ladsous disse que a comunidade internacional manifestou o desejo comum da levar a cabo todas as ações necessárias para a nação da África Ocidental. Como referiu, a questão seria decidida pelo Conselho de Segurança após o pedido oficial feito pelo Governo maliano.

Afisma

Em Dezembro do ano passado, o órgão autorizou o envio de uma missão Internacional de Apoio Liderada pelos Africanos no Mali, com a sigla Afisma.

O objetivo é prestar apoio aos esforços das autoridades nacionais para recuperar o norte, após ter sido ocupado por radicais islâmicos em 2012.

Rebeldes

Há quase um mês, forças francesas foram implantadas para combater milícias com ligações ao grupo al-Qaeda, que controlavam o deserto e regiões do norte do país. Os combates culminaram com a tomada de várias cidades controladas pelos rebeldes na semana passada.

Forças da França

Entretanto, agências noticiosas citam autoridades de Paris dando conta do início da retirada das suas 4 mil tropas até Março.

De acordo com as informações das agências, a França pretende que iniciem planos de transição para que sejam entregues as cidades recuperadas, recentemente, às forças de paz da Afisma nos próximos três meses.

O representante da ONU disse que vários membros do Conselho teriam recentemente levantado a possibilidade de uma operação de paz da ONU no Mali mas destacou que, além do pedido do país anfitrião, qualquer operação de manutenção da paz carece de autorização.